quinta-feira, 8 de maio de 2014

Funcionário vítima de homofobia consegue R$ 90 mil de indenização

Quarta, 07 de Maio de 2014 - 16:00

Funcionário vítima de homofobia consegue R$ 90 mil de indenização

A Justiça condenou uma multinacional a pagar indenização de R$ 90 mil por danos morais a um ex-funcionário que foi vítima de homofobia. Maximiliano Neves Galvão, 31, diz ter ouvido piadas durante os quatro anos em que trabalhou na unidade da Ericsson de São José dos Campos. Ele teria sido humilhado e perseguido por colegas, gerentes e até mesmo diretores e, mesmo após buscar apoio do setor de Recursos Humanos da companhia, a situação persistiu. "Tudo que eu passei dentro da empresa foi provado pela Justiça. A vitória não é pelo ponto financeiro, mas pela discriminação que sofri na empresa. Eu me senti humilhado e essa decisão mostra que a ética e a moral prevaleceram", afirmou ao G1. No processo, a juíza Maria da Graça Bonança Barbosa, da 5ª Vara do Trabalho de São José dos Campos, considerou que a empresa foi negligente com a situação. "A questão é que não se pode chamar de ‘brincadeiras’ atos e comportamentos de funcionários, chefes e supervisores, que se divertiam à custa da opção sexual do requerente. O fato narrado (...) demonstra aos olhos desse juízo que a empresa foi negligente em tolerar e mesmo ignorar a situação de constrangimento a que estava exposto o Recte em seu ambiente de trabalho", diz trecho da decisão. O técnico em eletrônica, que está desempregado desde que foi despedido da empresa há quase um ano, espera que a decisão sirva de exemplo tanto para as pessoas que são vítimas de homofobia e temem reclamar quanto para as empresas. "Muita gente sofre como eu sofri e não tem coragem de falar, mas é bom também para que as empresas avaliem melhor os empregados que selecionam”, defendeu. A Ericsson foi procurada, mas não retornou até a publicação da reportagem.